O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, anunciou hoje o lançamento da plataforma do Programa Desenrola Brasil, revelando que cerca de 42% das pessoas têm certificação ouro ou prata no Gov.br, permitindo que elas acessem a ferramenta para financiar ou pagar suas dívidas. Adicionalmente, 44% com certificação bronze precisarão atualizar suas informações no Gov.br para acessar o programa, enquanto apenas 13% não possuem qualquer tipo de certificação.

Após o refinanciamento de quase R$ 16 bilhões na primeira fase e leilões com R$ 126 bilhões em descontos na segunda, o programa especial de renegociação de dívidas de consumidores, Desenrola, está iniciando sua terceira etapa. A plataforma online para o refinanciamento de dívidas bancárias e de consumo de até R$ 5 mil está agora disponível para devedores que ganham até dois salários mínimos no site www.desenrola.gov.br, desenvolvida pela B3, a bolsa de valores brasileira.

Para acessar a plataforma, os consumidores precisam estar cadastrados no Portal Gov.br, com uma conta nível prata ou ouro, e ter seus dados atualizados. Em seguida, devem escolher uma instituição financeira ou empresa inscrita no programa para renegociar suas dívidas e selecionar o número de parcelas desejado para o pagamento. A página listará os credores que ofereceram descontos por ordem de juros, do mais baixo ao mais alto.

Os consumidores devem agir dentro de 20 dias a partir da abertura do programa para pedir a renegociação de suas dívidas, de acordo com a portaria do Ministério da Fazenda que regulamentou o Desenrola. Aqueles com débitos não selecionados no leilão podem obter o desconto oferecido pelo credor pagando à vista. A plataforma é acessível somente para usuários com conta nível ouro ou prata no Portal Gov.br, o portal único de serviços públicos do governo federal.

As dívidas podem ser pagas à vista ou em até 60 meses, com juros de até 1,99% ao mês. O ministro Haddad enfatizou o objetivo de ajudar as pessoas a limparem seus nomes e retornarem ao mercado de consumo e crédito. Ele assegurou que esforços estão sendo feitos para alcançar 100% das pessoas, especialmente aqueles que podem ser mais vulneráveis.

FONTE: ctb.org.br

Deixe um comentário