Um estudo revelou um aumento na incidência de câncer de mama em mulheres mais jovens. Uma pesquisa foi conduzida pelo Instituto do Câncer de São Paulo em resposta à observação da médica Karina Belickas Carreiro, que notou um aumento nos casos de câncer de mama em mulheres com menos de 40 anos durante sua rotina de trabalho.

Uma Dra. Karina Belickas Carreiro, ginecologista, obstetra e mastologista, decidiu investigar o perfil do câncer de mama em mulheres com menos de 40 anos, analisando cerca de 500 pacientes jovens atendidas pelo Instituto do Câncer do Estado de São Paulo. Surpreendentemente, 68% deles foram ativados em estágios avançados da doença.

O estudo também envolve que a incidência de câncer de mama em mulheres jovens é mais alta no Brasil em comparação com outros países. Nos Estados Unidos, apenas 5% dos pacientes têm menos de 40 anos, enquanto no Brasil, essa taxa é de 15%.

Uma pesquisa revelou que a idade da primeira menstruação está ligada à idade do diagnóstico, com quem menstrua mais cedo sendo mais propenso a desenvolver câncer de mama em idades mais jovens. Além disso, a amamentação foi identificada como um fator protetor para prolongar o diagnóstico do câncer.

A análise desses dados é essencial para a definição de estratégias de rastreio e diagnóstico precoce, incluindo o acesso à mamografia. A Sociedade Brasileira de Mastologia recomenda exames anuais a partir de 40 anos, mas enfatiza a importância de investigar qualquer queixa do paciente desde o início, a fim de melhorar as taxas de sobrevivência.

FONTE: g1.globo.com

Deixe um comentário